Atração sexual por pés femininos, gosto peculiar por violência, muito sangue e pitadas de sarcasmo. Eis algumas das características de um dos diretores mais autênticos do cinema: Quentin Tarantino.

Não basta sua empresa ser conhecida, ela tem que ser Reconhecida!

Taranta faz parte de um gênero cinematográfico chamado exploitation, ou cinema apelativo, marcado pelo sensacionalismo, a violência extrema e os efeitos especiais exagerados, tudo para justificar o baixo orçamento que lhe é comum. Mas vamos dar mais atenção a este estilo noutra edição, aguarde.

Voltando, Tarantino começou sua carreira participando da produção de outros diretores, cursou Direção no Sundace Institute, e trabalhou em uma locadora. Sim! Este trabalho contribuiu e muito para a formação do profissional. Ele afirma que moldou seu estilo depois de ter contato com inúmeras fitas de vídeo que assistiu.

E com essa bagagem, ele escreveu e dirigiu clássicos como Cães de Aluguel (1992), Pulp Ficton (1994), Bastardos Inglórios (2009) e Django Livre (2012), sempre mantendo suas características: o submundo, a violência, o humor nefasto, os pés femininos, as batalhas sangrentas e, não podemos esquecer, sua clássica aparição nas próprias produções. Se você está enjoadinho dos filmes de romance, drama, ação, ficção, vá se aventurar pelo exploitation e escolha um filme de Tarantino. Você vai se surpreender. É diferente de tudo.

Para não perder o costume, finalizo o post indicando Bastardos Inglórios para encerrar as férias com classe. Eu, acostumada com o estilão Tarantino de fazer filme, fiquei boquiaberta com esta produção. O filme se passa na época da Segunda Guerra Mundial, a França está tomada pelos nazistas e Brad Pitt, que incorpora o tenente Aldo, forma um pelotão de soldados judaicos para matar os seguidores de Hitler, os Bastardos Inglórios. Mas não é só isso. O filme é composto por vários capítulos, cada um mostra um personagem principal e uma situação ligada ao Nazismo. No final todos os capítulos se juntam para um gran finale daqueles. É incrível!

Bastardos Inglórios/Reprodução

 

Jornalista e escritora, 21 anos. Apaixonada pela escrita, filmes de suspense, literatura clássica brasileira e gastronomia. Caçadora e contadora de histórias de segunda a sexta-feira e fotógrafa das coisas bonitas da rotina, aos finais de semana.