Dê uma chance à literatura clássica brasileira

Li uma vez que a Língua Portuguesa é um dos idiomas mais complexos do mundo e, por isso, um dos mais difíceis de aprender e falar. Isso, talvez, pela quantidade de normas que a compõe, a versatilidade de algumas palavras com seus significados, pelas variações por região e época em que se aplica.

Comemora-se, em 29 de outubro, o Dia Nacional do Livro, e a data coincide com a fundação da Biblioteca Nacional, em 1810. Imagine, caro leitor, o que são 200 anos de obras genuinamente brasileiras publicadas nesse órgão?

Por isso que digo que a literatura é um dos pontos fortes do país. Porque une a sabedoria que temos com nosso idioma instigante e complexo com os diversos temas e gêneros.

E então eu lhe pergunto: quantos livros brasileiros você já leu? Não se sinta culpado. Se a leitura, por si só, não é valorizada e incentivada no Brasil, imagine as obras daqui da nossa terra? Santo de casa não faz milagre, não é mesmo?

Mas eu trago a solução, ou pelo menos, a sugestão: experimente ler uma das obras de literatura brasileira. Comece com os clássicos. Eles são mais fáceis de encontrar em bibliotecas e sebos, e são campeões em reedições. Além disso, pela internet, você encontra PDF de vários que já se tornaram domínio público e de outros mais que sempre estão presentes em listas de o que estudar para o vestibular.

Garanto: você há de se surpreender com este tipo de literatura. Talvez estranhe, no começo, pelo vocabulário de outras épocas, pelas palavras difíceis e até pela forma como alguns verbetes são escritos. Mas livro bom é aquele que você não entende de primeira, mas, depois, vai sentindo e compreendendo, com o tempo.

Ler clássicos brasileiros é uma forma de desbravar nosso país sem ao menos precisar sair do lugar. Você vai conhecer outros lugares, outras culturas e costumes e se abismar com problemas difíceis de acreditar. Além disso, vai se apaixonar e se identificar com vários personagens. E o mais legal: ler livros que valorizam o português contribui muito para o nosso vocabulário, refletindo na escrita e na fala.

Por fim, segue alguma sugestões de leitura genuinamente brasileira. Delicie-se.

Dom Casmurro, de Machado de Assis

Vidas secas, de Graciliano Ramos

As meninas, de Lygia Fagundes Telles

A hora da estrela, de Clarice Lispector

Grande sertão: Veredas, de Guimarães Rosa

Macunaíma, de Mário de Andrade

Bahia de todos os santos, de Jorge Amado

Avatar

By Kimberly

Jornalista e escritora, 21 anos. Apaixonada pela escrita, filmes de suspense, literatura clássica brasileira e gastronomia. Caçadora e contadora de histórias de segunda a sexta-feira e fotógrafa das coisas bonitas da rotina, aos finais de semana.

×

Powered by WhatsApp Chat

× Como posso te ajudar?